Patinetes Elétricos no Smart City Day 2019!

Patinetes SP.png

Desde o início deste ano, cidadãos das principais capitais brasileiras vêm experimentando uma nova – e "divertida" – maneira de se deslocarem: os patinetes elétricos tomaram as vias públicas, seduzindo não somente pela facilidade (e relativo baixo custo) de locação, realizada por meio de Aplicativo, mas por representarem excelente alternativa frente aos desafios da mobilidade urbana nas grandes metrópoles.

A febre brasileira, observada logo nos primeiros meses de operação – começando por São Paulo – reproduz o movimento de 2018 em grandes cidades da Europa e dos Estados Unidos. Em março, a Grow – fusão das operadoras Grin e Yellow – comemorou 4 milhões de viagens no Brasil, através dos mais de 135 mil patinetes disponibilizados nas cidades atendidas.

Ao substituir, com emprego criativo de tecnologia, o uso de carros para pequenas e até médias distâncias, os patinetes elétricos se inserem, efetivamente, na pauta das Smart Cities, onde a mobilidade elétrica e, especialmente, a economia compartilhada, têm espaço carimbado. A adesão em massa a esta nova alternativa deve ser, para muitos, comemorada e progressivamente expandida, a fim de que atinja, também, o interior do país.

Entretanto, também reproduzindo o movimento observado nas cidades europeias em 2018, Prefeituras brasileiras têm tratado com cautela os pontos delicados da disrupção, buscando atingir, com estudos consistentes e diálogo com o setor, a "boa regulamentação" – aquela que, simultaneamente, endereça os aspectos críticos e de segurança pública, e também permite, sem criar obstáculos desnecessários, a evolução e consolidação das soluções.

Em Paris, após dezenas de acidentes envolvendo patinetes que trafegavam nas calçadas, o governo municipal tomou, recentemente, medidas drásticas de regulamentação, chegando a "banir" operadores, aplicar altas multas a usuários, fixar locais específicos de aluguel e estipular altas taxas anuais para novos pedidos de autorização, medidas criticadas por parte do mercado francês, por supostamente não terem sido precedidas de estudos de impacto regulatório.

No Brasil, diversas capitais, como São Paulo, já iniciaram Grupos de Trabalho voltados à construção de parâmetros normativos adequados. A expectativa é de que, nos próximos meses, sejam experimentados os primeiros modelos de regulamentação.

A edição 2019 do Smart City Day, promovido pela SPIn e pela Microsoft Brasil, que acontecerá no próximo dia 03/06/19 em São Paulo, terá painel especial abordando as principais questões e perspectivas do cenário da mobilidade dockless no Brasil, com a presença da Secretaria de Mobilidade e Transportes de São Paulo e dos principais operadores do serviço.

Conheça os temas desta edição, painelistas confirmados e garanta já sua participação neste importante dia do movimento das Smart Cities no Brasil!

Vitor Antunes